15 de jan de 2014

Quando o tarô se torna um vício

Drika Gomes taróloga
Tomo por princípio que qualquer dependência não faz bem e no que se refere às consultas de tarô, sou muito firme no que se refere a não fazer do cliente uma pessoa dependente, pois isso em nada auxilia a pessoa em seu processo de crescimento. Acontece que muitos(as) clientes, por passarem por uma situação difícil e estarem num momento muito frágil de suas vidas, acabam utilizando o tarô como uma tábua de salvação, se apegando ao ponto de não tomarem decisões no seu dia-a-dia sem antes consultar às cartas e o bom tarólogo, o profissional consciente, quando percebe esse comportamento sabe que é momento de mudar  seu direcionamento, fazendo com que esse(a) cliente vá ganhando entendimento  e com isso comece a ganhar mais confiança em si mesmo(a) para que suas decisões sejam tomadas por conta própria. 

Clientes que nos procuram semanalmente, sempre com os mesmos questionamentos, além de mostrarem que não estão conseguindo entender os conselhos das cartas, mostram também sua total insegurança e falta de confiança nas previsões que lhe foram dadas.

Como agir num caso destes?

Nada melhor do que uma boa conversa, orientando essa pessoa numa consulta terapêutica para que sua autoconfiança se torne mais forte. Muitas vezes entro com terapêuticas que auxiliam nas consultas de tarô, como a Mesa Radiônica, por exemplo, que atua energeticamente desbloqueando chakras, ativando pontos que podem estar em baixa e harmonizando as energias divinas da pessoa.

Um ponto crucial é que clientes dependentes são geralmente super emotivos, se magoam muito facilmente e qualquer palavra que diga que não seja muito clara e ao mesmo tempo sutil pode fazer um grande estrago, então é necessária bastante cautela e um jeito carinhoso de abordar, cada pessoa é um universo e como tarólogos e terapeutas temos  a obrigação de saber lidar com cada um.

Conheci muita gente por aí que se dizia tarólogo, mas que seguia uma metodologia de incentivar o vício nos clientes. Infelizmente, são pessoas assim que mancham nossa categoria, porém existem também aqueles profissionais sérios, que amam o que fazem e que respeitam seus clientes.



Drika Gomes
Taróloga e terapeuta






10 de jan de 2014

Quando o(a) parceiro(a) é um Rei de Copas

A princípio o Rei de copas é um ser maduro, sábio, que consegue ter o controle de suas emoções. Tem temperamento tranquilo e ponderado, pois a vida já lhe deu experiências suficientes para distinguir o que lhe é ou não importante, portanto, não verá um Rei de copas entrando numa discussão qualquer, nem tendo arroubos de ciúmes e paixões furtivas. Ele sabe muito o que quer e é um grande observador das pessoas com quem se relaciona. Dá liberdade porque já aprendeu que nenhum relacionamento pode dar certo sem confiança, mas se por algum motivo essa liberdade que ele oferece for mal utilizada, ou seja, se ele perceber que está sendo enganado ou de alguma forma ludibriado, simplesmente sai do relacionamento com serenidade e decisão, sem fazer nenhum tipo de cobrança, reclamação ou alarde. E nem pense que ele cederá a chantagens emocionais e choros de arrependimento, ele encarará isso como pura falsidade e não se comoverá. Ele irá sofrer sim, pois se entrou no relacionamento foi porque acreditou, mas sua maturidade o tirou das ilusões, portanto, sabe que o sofrimento faz parte do processo, assim como sabe que é uma fase e que irá passar.

Outra característica do Rei de copas é seu auto-controle emocional, pode ser um parceiro fiel e amoroso, mas suas demonstrações de afeto serão sempre contidas, passando a impressão, muitas vezes, de ser uma pessoa fria e distante, contudo, seu interior nada tem de frio, pois ama com profundidade.

O Rei de copas aprecia o conforto, a estabilidade e a paz, vai se dar muito bem com mulheres mais calmas, auto-confiantes e que demonstre a ele maturidade de atitudes.


Drika Gomes
Terapeuta holística



Como agem os florais de Bach?



Os florais combatem os problemas emocionais? Na Terapia Floral buscamos o desenvolvimento dos aspectos positivos necessários para uma pessoa se equilibrar. Por exemplo, se uma pessoa está apresentando medo, procuraremos saber quais as razões desse problema. Tendo essa resposta, procuraremos os florais mais adequados para que ela desenvolva a coragem, auto confiança, etc. Funciona da mesma forma para outros inúmeros sintomas, como ansiedade, agitação, descontrole, tristeza, impaciência, etc.  Dessa maneira a positividade fica maior e a negatividade perde a força e o espaço, e deixa de se manifestar. 

Como agem? Cada flor tem uma qualidade específica, similar à virtude que precisamos desenvolver para conquistar o equilíbrio emocional ou alcançar outros objetivos internos. A virtude da flor é uma informação e essa informação poderia ser entendida como se fosse um “princípio ativo não material da flor”. Quando entramos em contato com o floral, a informação da flor entra em ressonância com o nosso campo de consciência nos sensibilizando de forma gentil de modo que a qualidade ou aspecto positivo que necessitamos, seja despertada, desenvolvida e vivenciada. 


Basta tomar florais para melhorar?
Basta não rejeitar os florais que eles já conseguem agir. Pessoas que tomam florais sem saber conseguem resultados também.  Entretanto a Terapia Floral com acompanhamento proporciona ainda mais condições para identificarmos as causas de nossas dificuldades para que consigamos desenvolver habilidades para superá-las. Isso facilita o processo, mas não nos exime da responsabilidade pela nossa própria melhora.

Na Terapia Floral,  a conscientização  ocorre de maneira progressiva até que a virtude necessária seja vivenciada de modo natural.

Nas crianças, animais e plantas, os florais agem ainda mais facilmente, já que não existe resistência alguma à sua ação.


Que tal fazer uma consulta para descobrir qual o melhor floral para você?


Drika Gomes
Terapeuta holística

9 de jan de 2014

As fatalidades serão destino? Carta da lua



A Luano Tarô de Marselha Camoin-JodorowskyPara falar a respeito do karma, a carta que melhor representa esse processo é a carta da lua.

O arcano de A Lua simboliza os temas não resolvidos internamente e que oprimem a consciência. São temas com que não lidamos de modo livre e gratificante, ou seja, que “nos deixam no escuro”, desorientados e sem saber para onde ir. Criam o que os círculos esotéricos chamaram de a Noite Escura da Alma. Essas sensações são criadas porque intimamente nos sentimos de algum modo intimidados e incapacitados de lidar com o tema quando ele se apresenta. O sofrimento ou limitação que ele representa estão encravados em nós numa memória muito mais profunda do que a que dispomos conscientemente. Os Karmas negativos são isso.

Todo é qualquer karma pode ser transmutado, temos em nossas mãos o poder de sair da fase obscura da lua, mas isso depende única e exclusivamente de nós mesmos.

Acredito sim que tudo que nos acontece na vida não é por acaso, somos nós quem atraímos todas as situações que se apresentam em nosso caminho. Observando deste ponto de vista entendo que nenhum acidente acontece por acaso, nenhuma doença vem razão, nenhum sofrimento nos assola sem querer. Somos o principal motivador de todos os acontecimentos, bons e ruins em nossas vidas. Então alguém pergunta: mas como explicar crianças que já nascem com doenças, defeitos físicos e limitações? Como pode um ser que acaba de nascer ser responsável por suas dificuldades? Para quem acredita na imortalidade da alma, nas diversas vidas que tivemos antes desta, poderá então compreender que ninguém nasce "zerado", ou seja, ninguém vem a este mundo com uma alma totalmente limpa, todos nós trazemos, inconscientemente, vestígios do passado, como se fosse um baú velho onde guardamos tudo o que fomos, fizemos e sofremos em outras vidas, a isso chamamos de registros acásticos.

Muito frequentemente, esses registros acásticos, que embora esquecidos, são acionados em determinados momentos da vida de uma pessoa, revelando medos que a pessoa pensa não fazer sentido no seu momento atual, mostrando alguns dons ou aptidões que não foram estudadas e aprendidas nesta vida, por conta destes vestígios é que se apresentam as dificuldades terrenas, pois viemos para nos aprimorarmos e aprendermos a lidar com nossas dificuldades que em vidas passadas não conseguimos solucionar e se a resistência for muito forte, se permanecermos na nossa livre escolha em persistir nos mesmos erros, então a vida irá nos colocar em situações mais complexas, mais difíceis, nos pressionando a agir de acordo com o propósito de nossa evolução.

Deus não é um senhor barbudo e mau, sentado numa nuvem que manda sofrimentos e punições para quem não é bonzinho. Deus não espera que você seja "bonzinho", uma pessoa caridosa, que vai todo domingo à igreja e que diz amém pra tudo. Deus espera é que você seja é MUITO BOM consigo mesmo! Porque desta forma estará seguindo sua alma, sua essência e portanto, estará no caminho certo para sua evolução.









8 de jan de 2014

Amores perfeitos - A ilusão desvendada no 5 de copas

 

Afinal de contas, o que é um relacionamento perfeito? Acredito que a primeira coisa em que se pensa é o fato de amar e ser amado, amor correspondido, é a base que oferece solidez a qualquer outro tipo de sentimento que acompanhe um relacionamento, mas é preciso entender que amor correspondido é sinônimo de troca, uma via de duas mãos que flui ininterruptamente, amar é muito mais do que sentir, é um intenso estado de agir em prol um do outro com a mais pura intenção de proporcionar prazer e alegria ao ser amado. Acontece que também é importante saber que perfeição não existe, ou seja, aquela pessoa exatamente igual a que você cria em seus sonhos... Mas acredite, você pode encontrar alguém especial, que tenha qualidades que você admira, porém, com certeza, terá também alguns defeitos que não apreciar tanto. O que vale num relacionamento feliz é o quanto as qualidades superam os defeitos, o quanto a pessoa oferece de melhor compensando o que vez ou outra pode oferecer de não tão bom e é esse balanço de pesos e medidas que irá ser o termômetro desse amor.

As pessoas procuram demais, exigem demais e buscam por uma pessoa que pode simplesmente não existir, então é momento de colocar os pés na realidade e entender que todos nós estamos aqui nesse planeta para aprendermos e o aprendizado apenas acontece nas tentativas com erros e acertos. Portanto de nada adianta viver dentro de uma ilusão, à espera de uma pessoa que apenas vive no reino das suas fantasias.

O mundo real é este aqui onde as pessoas têm dificuldades, traumas e medos, cada um com suas características de alma, de temperamento, de signo, de vida e conjunção astral! É preciso aceitar que existem as diferenças e cá entre nós, as diferenças são super saudáveis, é o que movimenta  e dá dinamismo a qualquer relacionamento.

Exatamente o que mostra nesta carta do tarô mitológico, 5 de copas. O momento da verdade em que a luz se faz presente e todas as fantasias dão lugar a uma realidade que não queria ver.

Ao lidar com esta realidade precisa-se também saber lidar com as perdas, saber deixar a ilusão ir embora, mesmo que seja doloroso porque é tão gratificante viver num mundo mágico onde tudo é perfeito...

É bom sonhar, sim, mas nos assuntos do coração, sonhar demais pode ser sinônimo de decepção.




Drika Gomes
Taróloga e terapeuta