25 de fev de 2015

Amarração para o amor?

O casal não está bem, por algum motivo o relacionamento ficou confuso e complicado, pode ter acontecido uma separação ou já caminha para isso. Tudo fica ainda pior quando uma das partes sofre e sem saber o que fazer o desespero chega chutando a porta da prudência. Alguma coisa precisa ser feita, essa situação tem que se resolver de qualquer jeito! Não posso perdê-lo(a)!

É nesse momento que a pessoa então repleta de medos e em agonia vai em busca de alguém que possa "dar um jeito" em seu problema e procuram pela AMARRAÇÃO.
Primeiramente eu preciso dizer que cada um é livre para fazer o que bem entender, para seguir pelos caminhos que acreditar serem os melhores, mas é importante saber que todos os atos tem suas consequências, ninguém está livre disso, ninguém!

O Primeiro ponto que quero comentar é o comprometimento espiritual - Numa amarração, dessas que fazem por aí em todos os cantos, envolvem-se muitas energias, envolve-se a espiritualidade essencialmente. São entidades dos mais diversos níveis que se comprometem com a energia das pessoas que serão amarradas e isso é coisa muito séria, gente! Não quero assustar ninguém, mas sentir algum medo é saudável porque ao menos te faz ponderar a respeito. Ter a energia comprometida com as entidades é uma forma também de te amarrar à elas e se você conseguir ter seu amor de volta, ele não virá só, junto com ele virão sobre você todas essas forças que foram utilizadas no "trabalho" e as consequências disso são várias, problemas de saúde, confusão mental, distúrbios na família e obsessões. Falo isso com propriedade porque já presenciei inúmeros casos assim e acreditem, para desfazer esses trabalhos é muito difícil e muitas vezes não se desfaz.

O segundo ponto é entender o quanto você se menospreza, o quanto não acredita em si mesmo(a) e o quanto você se diminui diante do seu próprio espelho "apelando" para uma amarração, sinceramente, um ato desses não lhe parece desespero demais? Não lhe parece humilhante querer obrigar alguém a estar com você? Não é lamentável demais saber que a pessoa não está com você porque realmente te ama e te quer e que tudo é uma grande armação espiritual? O universo é sábio, a vida é sábia e nada acontece em nossas vidas que não seja aquilo que mereçamos, é importante que se pense que quando a vida nos separa de alguém, mesmo que doa, mesmo que seja muito triste, não é por acaso, existe um mistério maior do que nossa compreensão pode alcançar por trás de tudo. 

A vida funciona em ciclos: nascimento, crescimento e morte, isso ninguém pode mudar. Esses ciclos se manifestam também em nossas vidas com começos, meios e fins. Quando um relacionamento termina ficamos com a sensação de morte dentro de nós porque realmente houve uma morte, houve um fim e precisamos aceitar o fim, da mesma forma que aceitamos os começos porque senão iremos nos debater com a vida, lutar contra essa força que é uma lei divina, é uma luta em vão, na qual o único resultado que se pode ter é o fracasso.  Digo isso tudo porque seria também de nossa natureza divina lidarmos com a morte e com a separação com a aceitação de um fim de ciclo e com a compreensão de que haverá um renascimento porque a morte mesmo que seja trágica, não nos deixa no vazio, existe a promessa de uma renovação, de um recomeço.

A amarração no amor é um comportamento de quem rejeita o que a vida está manifestando sem ao menos pensar a respeito ou observar as outras oportunidades que surgem. Quando a vida diz não é porque alguma coisa de errado você está fazendo, é porque está agindo com energias contrárias àquelas que te favoreciam, é porque está tapando os ouvidos e os olhos para aprender a mudar seu modo de pensar, seu modo de agir e de sentir as coisas. A vida não lhe nega nada, mas quando ela diz não é porque você está desviando do caminho que poderia te levar até seu objetivo.

Afirmo que a melhor amarração que existe vem do amor, primeiramente do amor por si mesmo(a) que faz com que você brilhe, pois é com seu brilho que atrairá o amor para sua vida, é com esse brilho que representa a luz do sol que atrairá admiração do ser amado. Você precisa brilhar! É dessa forma que o amor surge, que a felicidade se manifesta e que o relacionamento se estabelece em verdades e sentimentos sinceramente trocados.

Se você quer que seu amor se amarre em você, trabalhe sua auto estima, seu poder de sedução, traga de dentro de você aquilo que possui de belo e exponha ao mundo.

Sei que muitas vezes você nem sabe as qualidades que possui e muito menos como colocar tudo isso para fora e fazer seu brilho acontecer, mas eu estou aqui para te ajudar nisso, ok? 

Você precisa fortalecer suas bases, se libertar de medos e negatividades e deste modo sua energia limpa e desbloqueada, deixa livre o caminho para ativar suas características marcantes.

A Mesa Radiônica juntamente com a astrologia pode ajudar muito! 

Tenho uma terapia chamada 


Neste tratamento que é realizado em 3 sessões, você terá sua energia equilibrada, libertação de traumas e medos, ativação da energia da sensualidade, criatividade e feminilidade, juntamente com seu mapa astral iremos ver as áreas que precisam mais atenção para que seu poder pessoal ganhe força e analisando o mapa astral do ser amado iremos entender de que maneira ele gosta de amar, como ele quer ser conquistado e como chegar ao coração da pessoa.

Amarração para o amor? Não caia nessa de se envolver com energias de entidades, confie em si mesmo(a), você pode conquistar o amor que deseja!






Drika Gomes taróloga

23 de fev de 2015

O Enforcado arcano 12

Embora este arcano não seja visto com muito bons olhos, ele é repleto de simbologias e significados profundos. Todas as cartas do tarô precisam ser vistas como uma moeda que tem duas faces; existe o lado yin e yang de cada arcano e é importante que saibamos compreender os seus dois lados, pois somente assim conseguiremos viajar pelo arcano de maneira íntegra, conhecendo seus detalhes, suas vias, seus becos escuros e suas lindas praças arborizadas, por isso os convido agora para viajarmos dentro do Enforcado, vamos nessa?

Por quê essa figura é representada com um pessoa de cabeça para baixo, pendurada pelo pé e representando o número 4 também de cabeça para baixo com suas pernas?

Hoje quero colocar os aspectos psicológicos desta carta, afim de que possamos refletir a respeito de cada movimento do arcano. O primeiro aspecto a observarmos está no fato do "enforcamento" pelo pé. Sabemos que de fato a morte apenas acontece por meio de um enforcamento comum, ou seja, pelo pescoço, o que nos leva a entender que a figura da carta não queria se matar ou quem a colocou nesta condição não deseja sua morte, então qual a real intenção?

O Enforcado representa as situações ou emoções que de alguma forma nos mantém aprisionados, causam sofrimento, desgaste, mas que por alguma razão nos permitimos e aceitamos permanecer nela por acreditarmos que é um sacrifício válido, que cada gota de suor ou de sangue derramado compensa em prol de um propósito maior.

O número 4 invertido representa uma ordem, uma estrutura, uma certeza que foi posta à prova, uma inversão de valores e também representa que o quadrado fechado do 4 que simboliza nosso fechamento diante da vida (egoísmos, crenças, limitações) sendo de uma forma dolorida, sacrificada, ou seja, o indivíduo se deixou desapegar de suas limitações, mesmo sentindo dor, optou por essa situação.

Existem muitas situações na vida de uma pessoa que o arquétipo do Enforcado se encaixa:
Naquele emprego que não se gosta, mas se é obrigado a ir todos os dias, se sacrificando porque mesmo sendo ruim é dele que se tira o sustento para a vida;
Nos cuidados com aquele parente doente que precisa de atenção e cuidado constantes, é cansativo, te prende, te priva de viver sua vida como gostaria, mas você pensa que é por um bem maior, que é válido;
Naquele relacionamento desgastado, difícil, repleto de conflitos onde se permite continuar, apesar de todo o mal que sente, mas permanece porque tem interesses maiores que seu desconforto.

O arcano 12 quando aparece para significar a personalidade de alguém revela um ser altruísta, que muito facilmente esquece de si, preferindo servir aos outros, alguém que se dedica a uma causa, a algum propósito em nível humanitário. Revela a personalidade de um ser que não se valoriza como deveria e que se esforça muito para agradar aos outros porque ele acredita que é assim que o amor se manifesta, na doação e espera ser retribuído, que haja um agradecimento, reconhecimento e que as pessoas o vejam como alguém grandioso por sua capacidade de ignorar a si mesmo em prol de outro ou outros.

Nos relacionamentos uma pessoa que tem o arcano Enforcado, como representante da personalidade, sempre quer fazer de tudo pelo parceiro, passa a viver a vida do ser amado como se fosse a sua, se doa e se anula. Age desta forma porque não consegue sentir valor em si mesmo, consciente ou inconscientemente sentem-se perdidos e sem motivação quando precisam conviver consigo mesmos e por isso não suportam a solidão.

O lado positivo do Enforcado está na fé, na predisposição de auxiliar o próximo, no seu gesto de abandono de si mesmo em busca de um propósito maior. O Enforcado representa os voluntários, os enfermeiros, os cuidadores, é alguém com quem se pode contar num momento difícil.



Drika Gomes taróloga





21 de fev de 2015

A Carta do Diabo - Pessoas falsas e Traição

Infelizmente, na vida, pelo uma vez iremos nos deparar com alguém que faz esse estilo duas caras; pessoa ardilosa, mentirosa, interesseira e os adjetivos vão longe para definir esse tipo de caráter, que em minha opinião, é um dos mais detestáveis.

Pessoas assim podem cruzar seu caminho nas mais diversas áreas da vida: no trabalho, na amizade, no amor, na vida familiar... sinceramente não saberia definir em qual área seria pior de se deparar com esse tipo, acho que seja lá em qual for, um prejuízo vai causar porque não tem como uma pessoa falsa passar pela vida da gente e não causar se quer nenhum estrago. Por mais que sejamos discretos e tentemos nos prevenir, haverá sempre um momento em nós em que a ingenuidade ou a fé inocente, nos colocará vulneráveis.

Essas pessoas querem entrar nas nossas vidas, fazer parte do nosso dia-a-dia e nos fazer pensar que sempre agem de boa fé, quando na realidade existe algo sinistro e mal intencionado por trás, essas pessoas no tarô são representadas pela carta do Diabo. Muitas vezes nosso coração otimista acredita e assim como o Louco do tarô, nos permitirmos embarcar nessa viagem às cegas, apenas na fé de que o bem existe e nada de ruim poderá acontecer, mas o Louco, por ter uma essência pura, sempre é protegido por seu cão que o alerta dos perigos, o Louco então não se fere, mas vai perdendo ao longo de sua jornada a fé nas pessoas,  vai perdendo a inocência tão bela que o deixa desprotegido e com isso o Louco amadurece e vai deixando de ser tão tolo, tão otimista e tão cheio de fé e se torna o Mago, um ser dotado de artimanhas, ferramentas e de uma malícia sábia!

A verdade é que quando descobrimos que uma pessoa agiu conosco de má fé, que de algum modo nos traiu, a sensação que fica é de quebra. Se rompe drasticamente um elo e no local daquele vazio deixado pelo rompimento, fica a decepção, a frustração, a falta de confiança e muitas vezes a ira e penso que não tem jeito de refazer esse elo, por mais que a pessoa se esforce, nunca mais vai voltar a ser como antes. Uma vez que se quebre a confiança ela não pode mais ser atada, o máximo que pode acontecer é da rachadura ficar menos extensa, mas mesmo assim a marca dessa quebra permanecerá.

Então como agir? Numa amizade, dá para voltar a serem amigos? Ah... Duvide-o-dó! Creio que amizade nunca mais, se fosse comigo, ascendente em áries como sou e regida pela carta da Justiça no tarô, eu cortaria essa pessoa em definitivo da minha vida e mesmo que tivesse que conviver com a criatura, iria ser pura e simplesmente no automático, essa pessoa teria de mim apenas um comportamento robótico e limitado, se fosse no amor então, aí seria ainda mais radical, fim definitivo, sem perdão, sem direito a retórica, condenação e punição no ato!

Cada um de acordo com sua essência vai lidar de formas diferentes, mas mesmo que haja perdão, mesmo que o amor fale mais alto, ainda assim a marca da traição vai estar lá, avisando para ter cautela, para não confiar tanto, para manter os olhos bem abertos porque a qualquer momento Diabo pode despertar denovo...

É realmente muito difícil voltar a confiar, pois o incômodo da incerteza estará o tempo todo ali piscando dentro da mente, nos deixando inseguros e com o insuportável medo de sermos traídos mais uma vez.

A verdade é que existem pessoas em que se pode confiar e as que não se pode e precisamos aprender a separar o joio do trigo se quisermos viver bem, não dá para se iludir acreditando que todo mundo é bonzinho.











Drika Gomes taróloga

13 de fev de 2015

Na consulta de tarô a confiança é essencial!

Muitas vezes acontece de clientes, quando chegam em meu consultório, se mostrarem inseguros, com receios vindos de experiências não tão boas com outros profissionais esotéricos e chegam fazendo vários questionamentos, o que considero excelente, pois ao mostrarem suas dúvidas me oferecem a oportunidade de discutir o assunto e esclarecer qualquer questão que os deixem incomodados. Transparência é fundamental em qualquer área de trabalho e entendo que como terapeutas e tarólogos, nosso dever em oferecer esse "aconchego" psicológico e emocional é uma tarefa que devemos realizar sempre.
A confiança só se adquire com o conhecimento e com o tempo, mas o primeiro passo está na forma de receber a pessoa, mostrar conteúdo e seriedade. Meu objetivo e creio, o objetivo de todo terapeuta, é ver seu cliente sair da consulta muito melhor do que quando chegou.

Gosto quando meus clientes me questionam, quando querem saber o porquê de tal significado das cartas, quando expõem suas dúvidas diante da minha mesa de atendimento porque isso faz com que se sintam muito mais seguros e confiantes. Logicamente que não irei dar uma aula de tarô durante uma consulta, mas posso perfeitamente passar uma informação que o cliente não tem conhecimento e com isso ajudá-lo a alcançar uma melhor compreensão das previsões.

Uma cliente certa vez me disse que passou em consulta com uma taróloga e ela saiu da consulta muito confusa e repleta de dúvidas, pois quando questionava a taróloga, a mesma se recusava a responder dizendo que ela não precisava saber de tantos detalhes. Como que não precisava?? 

Eu simplesmente me coloco no lugar do cliente que está pagando por uma consulta, está precisando de ajuda e quer ser bem atendido, então quem é profissional de verdade e respeita seu cliente, jamais deixa que ele saia insatisfeito.

Passamos todos os dias por situações que nos incomodam, por exemplo, quando vamos à uma padaria que ainda não conhecíamos e perguntamos à balconista qual é o pão doce mais vendido e que a maioria prefere, ela de cara fechada, mal olha para a gente e com descaso diz: - qualquer um é bom. Quem é que fica satisfeito com uma resposta dessas? Quem é que se sente bem recebido com um comportamento desses? A padaria pode ser ótima em seus produtos, mas se as pessoas que ali estão não querem se predispor a um bom atendimento, certamente não voltarei mais ali.

Chega de má vontade, de desvalorização das pessoas... por isso eu levanto a bandeira do bom senso que faz as pessoas questionarem, buscarem informação e dessa forma não se sentirem mais lesadas ou passadas para trás. Confiança é essencial!







Drika Gomes taróloga

5 de fev de 2015

O que o tarô pode fazer por você?

Uma consulta de tarô pode auxiliar você em momentos de dúvidas, diante de uma dificuldade de escolha e principalmente para ajudar com que observe melhor suas opções, te servindo de apoio para encontrar seus melhores caminhos.

Muitos encaram o tarô como elemento místico e espiritual, mas eu procuro sempre manter uma visão mais científica e psicológica, vivenciando o tarô como um instrumento refletor do inconsciente.

A física quântica hoje explica muito bem essa conexão energética entre as cartas do tarô e o consulente, portanto o tarô apenas vai mostrar o que o universo já está preparando para você, sempre de acordo com seu estado vibracional, ou seja, de acordo com seus pensamentos e sentimentos frequentes.

Numa consulta, todas as suas opções serão apresentadas num leque, que você então de acordo com suas preferências e sua realidade, escolherá. 

Justamente devido a profundidade e importância de uma consulta, que não sou simpatizante às consultas com menos de 30 minutos de duração, pois não se há tempo suficiente de explorar o tarô de forma que venha trazer ao consulente todo esclarecimento e direcionamento necessário. É bem melhor ficar um tempo a mais e sair da consulta plenamente satisfeito, não acham?

O tarô pode ajudar a que veja a si mesmo por uma ótica muito especial da qual jamais se percebera antes - um espelho do seu eu interior.



Drika Gomes
Taróloga, numeróloga e terapeuta holística
(11) 95494-29 18

Drika Gomes taróloga

2 de fev de 2015

Será que vale a pena insistir?

Sabe quando você tem um sonho e preenche todos os seus dias com a intenção de fazer esse sonho se tornar realidade? E luta por ele, corre atrás, busca informações, aprende, trabalha e se dedica de corpo e alma na certeza de que o sonho vai virar algo real em sua vida? E então um dia, depois de tantos esforços, depois de tanto desgaste e dedicação, finalmente você chega lá! Alcança o topo da montanha, realiza seu grande sonho... Sua vida então se enche de realização, euforia, gratidão e as melhores sensações passam a existir dentro de você, enfim, a plenitude...

Você passa desfrutar dos prazeres deste lindo sonho, mas dos temores também porque geralmente tudo aquilo que mais queremos também é aquilo que mais tememos, já parou para pensar nisso? Começa a aparecer na cabeça um monte de "se" - E "se" não der certo? E "se" acontecer algum problema? E "se"... (variados). Porque será que a gente sente tanto medo?

A grande dificuldade é quando o medo também se realiza, deixa de existir apenas no mental e vem para vida real, trazendo diante dos nossos olhos o pior dos fantasmas, a decepção, a frustração, a desilusão. E agora como lidar com isso? Não é fácil ir do céu ao inferno, ainda mais quando tudo acontece de forma rápida, num dia tudo está lindo e perfeito e no outro a coisa toda desmorona, todo aquele sonho lindo se desfaz e o que nos resta é a dor, a sensação de estar caindo num abismo e não ter como se salvar.

Enquanto você está caindo no abismo, não há nada que alguém possa fazer por você, a única certeza é que você vai se espatifar mesmo! Vai se ferir, vai doer, vai chorar, mas você pode escolher por quanto tempo vai permitir que essa dor doa. Tem gente que fica mal por décadas, anos e outras por alguns dias... Tudo vai depender de como você lida com a dor. Eu sempre penso que a dor existe para doer, não podemos ignorá-la, é um sentimento que precisa ver vivenciado assim como a alegria, o prazer e a paixão. Claro que ninguém gosta de sofrer, mas é um mal necessário, o sofrimento pode também nos fortalecer e servir como um momento de pausa nessa busca frenética pelo que se deseja, serve como uma fase para nos entendermos e nos questionarmos do que realmente importa, do que realmente queremos, se é válido continuar insistindo ou não, se precisa mudar suas táticas ou não, enfim, o estado de sofrimento também pode ser útil para nos reorganizarmos mental e emocionalmente, já que é uma dor que nos retrai, que nos obriga a olhar para dentro. Nem sempre é viável insistir em algo que após algumas tentativas, resulta em insucesso. Por isso a gente sempre precisa manter a razão mais apurada, analisar os prós e os contras e tentar tomar atitudes que venham a nos beneficiar futuramente. Claro que se não deu certo uma, duas, três vezes, a chance de não dar certo na próxima é bem grande, né? Mas se a esperança e o desejo forem maiores que os traumas, então ótimo, vambora tentar denovo... Porém, tem casos que o cansaço domina, a gente cansa de bater a cara no muro, cansa de se frustar e então optamos por outro caminho, abandonamos aquele sonho que de tanto dar errado, acabou se tornando algo pesado e difícil, resolvemos então seguir adiante, não que seja uma desistência porque fraquejamos, mas porque queremos nos manter fortes.