19 de mai de 2015

Tarólogos online e os sites de tarô

Comecei no atendimento online cerca de uns quinze anos atrás, quando atendia pela internet apenas clientes distantes de outros estados e países. Na época não usava o skype e o atendimento era via MSN ou por e-mail. Me recordo que no início havia uma grande resistência por parte das pessoas em se consultar à distância, não era algo que inspirasse segurança e a maioria das pessoas desconfiava bastante. 

Para poder passar aos clientes mais credibilidade no meu trabalho, fazia questão de atender com a webcam, eu queria que a pessoa me visse e de algum modo se sentisse mais próxima e outro detalhe muito importante é que minhas consultas nunca foram menor que trinta minutos, sempre me recusei a atender um cliente de forma tão rápida, pois no meu entender como terapeuta, uma consulta de quinze minutos ou menos, não pode oferecer qualidade porque não há tempo suficiente para explicar, orientar e se aprofundar nas questões colocadas. Sou da opinião de que se é para fazer de qualquer jeito, melhor não fazer! Meu cliente merece o melhor de mim e disso não abro mão.

Atendimentos via chat, skype, por e-mail, obviamente que FUNCIONAM! Não é a distância e a metodologia que influem, o que pode influir é a capacidade, entendimento e envolvimento do tarólogo. 

Certa vez uma cliente me contou que se consultava num desses sites de tarô, pediu uma consulta de quinze minutos e no meio da consulta a cliente pediu para que a taróloga abrisse sua webcam, pois ela queria acompanhar a triagem das cartas e a taróloga, depois de algumas tentativas em abrir sua cam, disse que estava com problemas técnicos, não conseguia abrir, mas de repente em um dado momento a imagem apareceu e a cliente viu a taróloga comendo um sanduíche enquanto a atendia, certamente essa taróloga não se deu conta de que sua cam estava aberta. A cliente ficou horrorizada, sentiu-se muito ultrajada, pois a taróloga digitava sem mesmo estar consultando as cartas, estava comendo na frente do computador. Educadamente, a cliente encerrou a consulta e nunca mais procurou esse site e muito menos essa "profissional".

Claro que esse comportamento citado acima não pode ser generalizado, mas serve como alerta para que busquem cada vez mais, qualidade. Lembrem que uma consulta muito curta, de dez, quinze minutos, pode ser mais barata, mas em contra partida, ineficaz. É importante sempre saber quem está do lado de lá da tela, conhecer a pessoa que te atende, buscar referências para sentir segurança e desta forma não ver seu dinheiro indo embora por nada.

Eu entendo que um profissional do tarô não pode apenas responder suas perguntas, precisa orientar, direcionar, mostrar as cartas que está tirando e oferecer esclarecimento.

Já tive a oportunidade de conhecer vários sites de atendimento com tarólogos e são raríssimos, muito poucos mesmo, aqueles que considero sérios.

Pesquisar é importante! Perguntar é fundamental! E desejar qualidade é essencial!












14 de mai de 2015

Você costuma alimentar fantasmas?

8 de espadas
Esta carta representa a negação da realidade, quando simplesmente escolhemos acreditar naquilo que nossa mente nos condiciona a olhar. A mente criou os fatos, existe a idéia de que tudo está acontecendo exatamente como a mente nos mostra e nos colocamos aprisionados dentro desses pensamentos. Na mente nos encontramos numa tempestade e nem se quer nos damos conta de que fora dela, tudo está calmo e em paz.

Os fantasmas surgem porque essa carta nos coloca dentro de um estado de cegueira, onde não conseguimos ver além daquilo que os medos, traumas e imaginação criam. Tudo é caos, frio e difícil e se torna ainda mais denso à medida que  passarmos a acreditar mais nesses fantasmas.

O estado emocional enfraquecido torna as pessoas mais suscetíveis a viver nesse estado de "cegueira", pois a desordem emocional traz consigo a desordem mental, embaralhando realidade com imaginação.

Relacionamentos em que um ou ambos são extremamente ciumentos e possessivos, nota-se facilmente esse tipo de comportamento, onde há medo, desconfiança, sentimento constante de insegurança, necessidade de controle da vida do outro. Isso porque em relacionamentos assim sempre há alguém com medo de ser enganado ou traído, o medo é tanto que qualquer gesto, palavra ou comportamento suspeito do ser amado, pode ser um motivo muito forte para acreditar no pior e antes mesmo de ponderar, a pessoa já duvida e começa a criar fantasmas na mente que irão crescer e crescer, tornando-se tão intensos ao ponto de fazer a pessoa acreditar neles e não mais na realidade. É um distúrbio psicológico, sim e emocional também que leva muitos relacionamentos ao desgaste e até mesmo é a causa de vários crimes passionais.

A mente nos prega peças! Analisar os fatos com os pés bem fincados no chão é sempre a melhor estratégia, quando a dúvida surge a clareza se faz necessária e essa clareza não vem dos confins de uma imaginação fértil, vem dos olhos bem abertos e focados na verdade, vem do diálogo colocado de peito aberto, vem do entendimento dos porquês, do olhar mais atrevido que descortina o que há por de trás de cada gesto.

Todos nós em algum momento criamos fantasmas, mas precisamos ter a noção de discernir que eles são obra do imaginário a partir do momento em que começarem a nos travar diante da vida, esse é o momento certo para refletirmos: "Isso não pode ser maior que eu, algo tem de errado aí!"